segunda-feira, 27 de setembro de 2010

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

quando é que acaba a idade dos porquês?

O nosso pequeno Newton (Gugas), não satisfeito com subir ao beliche e deixar caír diversos objectos para o chão - não se preocupem, a maioria não acerta na cabeça do Diogo -, anda num ímpedo perguntador que me leva ao limiar da resistência psicológica. Como a paciência de qualquer um tem limites, resolvi impôr-lhe uma quota diária de 100 perguntas começadas por "porquê", convencida de que ele nunca lá chegaria. Anteontem, ainda não eram 8 da noite e chegámos aos 100 porquês, mesmo tendo passado 7 horas na creche. Depois disso ainda tentou outras questões mais ou menos existenciais mas eu informei-o que tinha de as deixar para o dia seguinte. Pronto, é o que dá casar com um físico. E, já agora, também eu ser curiosa.

Alguns exemplos de hoje:
Por que é que eu não vejo a nuvem que é o nevoeiro?
Por que é que não há luzes de stop na parte da frente dos carros?
Por que é que não há chão no ar?
Por que é que a luz da cozinha não funciona com bateria?
End soion, end soion...

terça-feira, 21 de setembro de 2010

habemus dentinhum

Vamos lá ver se agora o Diogo melhora da ranhoca, tosse e muita rabujice que o têm acometido nos últimos dias...

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

notícias do Gugas

Enquanto o Diogo se desfaz em ranho, o Gugas lá tem ido à escola e começa a ambientar-se. Para ajudar à confusão linguística, agora também lhe ensinam espanhol. Cá por casa, tem aproveitado para ir andar de bicicleta com o pai antes do jantar e, à noite, as brincadeiras preferidas são subir à cama de cima do beliche e brincar às escuras com a lanterna. Está crescido e igual a si mesmo - falador, perguntador, meiguinho e bem-disposto (e mandão, teimoso, orgulhoso, que também não podia ser só qualidades).

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Há dias, de manhã...

... Que uma pessoa à tarde não deve sair de casa à noite. São os dias em que para alem de estarmos doentes, temos um filhinho doente, e estamos sempre preocupados.
Melhores dias virão.

domingo, 12 de setembro de 2010

Festas de Cranbury

Enquanto alguns andam a passear nas Feiras Novas de Ponte de Lima, nós fomos à festa de Cranbury. Faltou a música de carrinhos-de-choque, as farturas, e as roupas de contrafacção mas, para compensar, havia uma exposição de carros antigos (imaginem lá quem se deliciou), balões, uma banda de mariachis louros, de olhos azuis, e muitas pechinchas. Mais uma vez, piquenicámos no parque junto ao lago e aproveitámos este restinho do Verão. Boa semana!







quarta-feira, 8 de setembro de 2010

notícias do Diogo

Ontem fomos à pediatra e está tudo bem. Mantém os mesmos percentis de crescimento e vai fazer um exame para determinar se há refluxo de urina no sistema urinário, para saber se a pielonefrite foi só um (mau) acaso ou se é preciso continuar a profilaxia para evitar futuras infecções. Agora passou a beber leite de soja e parece estar a gostar muito mais do que do normal. E a mudança para o quarto dos rapazes também tem corrido bem. De resto, quase não dorme na escola mas vamos ver se se habitua ao novo ambiente. E, por agora, é tudo.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

domingo, 5 de setembro de 2010

normalmente não se vestem de igual


Mas ficam tão giros, não ficam? Os americanos devem gostar mesmo de pijamas justinhos porque estes são tamanho 5 anos e 12 meses, respectivamente.
Boa semana!

p.s. Hoje o Gugas perguntou quando é que voltava para escola porque já estava com vontade de ir. Nunca vi criança tão sociável e com tanta auto-confiança. E mãe tão babada, claro.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

primeiro dia de escola

Ainda completamente abananados da viagem e do jet lag, os meninos foram hoje uma horinha à escola nova. O Diogo não chorou quase nada e o Gugas ficou todo contente a brincar e a falar português com toda a gente. Acho que o pior só vem para a semana, quando ficarem o dia todo. Oh angústia...
Já agora, obrigada por todas a mensagens de boa viagem. Portaram-se todos muito bem e não chegámos demasiado cansados. Até qualquer dia!